O seu Dia a Dia
Fim do Mês

Ervas aromáticas em casa: saiba como fazer e poupe no supermercado

Publicado em 09-03-2018

As preocupações com a alimentação saudável são cada vez mais quotidianas, mas nem sempre temos disponibilidade para confirmar a origem de todos os produtos que ingerimos e procurar as opções mais naturais. Um passo simples para dar corpo a esta preocupação é criar uma horta em casa, e nem é preciso ter um quintal para o fazer.

Entre hortícolas e ervas aromáticas são muitas as opções para quem quer começar a dar os primeiros passos como agricultor urbano, apenas com uma varanda ou uma bancada ensolarada na cozinha. Se ficou tentado, comece pelas ervas aromáticas que são fáceis de manter e desenvolvem-se bem numa varanda ou junto a uma janela que garanta várias horas de luz diárias, pelo menos quatro a cinco, de verão e de inverno.

A presença de luz é aliás um dos aspetos fundamentais para o sucesso de uma mini-horta caseira. Além disso é preciso decidir se vai optar por dar todos os passos no processo, desde o cultivo da semente, ou se prefere saltar etapas e optar por comprar as plantinhas já nascidas. A primeira opção é mais barata; a segunda, mais rápida.

Num caso e noutro, a maneira de preparar a terra é igual e os cuidados a ter também. Pode optar por cultivar cada uma das plantas no seu próprio vaso, ou comprar um vaso largo e colocar várias no mesmo espaço. Deve usar terra com fertilizante, de preferência orgânico, e vasos com furos na base para deixar escoar água que seja depositada em excesso quando rega. De modo a prevenir a humidade excessiva das raízes pode ainda usar pedras de argila expandida para colocar na base do vaso, cobertas por uma manta de drenagem, para evitar que estas se misturem com a terra e o fertilizante que colocará por cima.

A terra deve ter uma altura mínima de 20 a 30 centímetros e sobre essa base são colocadas as plantas ou as sementes, que são tapadas com terra suficiente para não ficarem nem à vista nem demasiado distantes da superfície.

No que se refere à rega, as necessidades de água variam muito conforme a altura do ano. É importante manter a terra húmida, mas sem que esteja ensopada e por isso, no verão, a rega pode ser diária e, no inverno, pode não haver necessidade de regar a mini-horta durante vários dias. Deve ir aparando as ervas no vaso à medida que vão crescendo e de acordo com as necessidades de consumo, para que o seu ciclo de crescimento se renove e se mantenha espaço disponível para que cada uma cresça, se partilharem o mesmo vaso.

Para maximizar as possibilidades de sucesso do projeto, informe-se sobre as combinações de plantas que melhor convivem entre si, seja porque partilham necessidades idênticas em termos de luz e água, ou porque expandem pouco as raízes e não vão invadir um espaço partilhado. Tomilho, orégãos e manjericão, por exemplo, são bons vizinhos. A hortelã deve ter um vaso próprio porque as raízes se expandem enquanto encontrarem espaço.