Bem-vindo ao MyPopular!

Fique a par de várias dicas que o podem ajudar no dia-a-dia.

Saber Poupar

Hortas caseiras: os vasos ganharam vida nova

Publicado em 06-02-2017

Se gosta de uma boa refeição e faz da cozinha sua aliada na casa, então saberá certamente que o segredo de muitas receitas está no seu tempero: ervas frescas e outro tipo de plantas ajudam a dar um renovado sabor aos pratos.

E nada melhor do que ter este género de ingredientes sempre à mão, fresquinhos e prontos a usar. Os temperos cultivados em casa são mais saudáveis e nem os grandes chefes dispensam os ingredientes frescos nos seus cozinhados.

Além de um melhor sabor tornam também os cozinhados mais coloridos e apetecíveis. Motivos mais do que suficientes para investir numa horta doméstica, dando nova vida aos velhinhos vasos. De resto, esta é uma opção simples, fácil e barata.

Deixamos-lhe aqui sete ideias que não pode deixar de seguir, antes de criar a sua própria horta caseira:

Em que local da casa plantar?

Esta é a primeira duvida que surge quando se pensa numa horta caseira. Na realidade, o espaço aqui não é o mais importante já que devemos dar clara relevância à luminosidade. As plantas precisam de sol e luz natural para crescerem pelo que o local escolhido deve ter isso em conta.

Escolha as plantas de acordo com a época do ano

Antes de plantar, tente perceber quais as épocas mais indicadas para fazer crescer cada espécie. Por exemplo, é certo e sabido que plantas como o alecrim, a sálvia, o tomilho ou a lavanda  crescem melhor com muito sol. Já outras como o manjericão ou a alface gostam de sombras para se desenvolverem.

Comece por plantas de fácil manutenção

Nos primeiros tempos, poderá não ser de todo fácil cuidar de uma horta, mesmo que caseira. São tarefas que exigem habituação e, por isso mesmo, sugerimos que comece por plantas com manutenção mais fácil. Uma horta de temperos em vasos é uma boa forma de começar já que o alecrim, os orégãos e o tomilho são plantas resistentes, por exemplo.

Assegure uma manutenção eficaz

Fazer a manutenção da plantação é essencial para que esta resista sem mazelas; assim sendo, retire as folhas secas e amareladas das ervas e remexa a terra a cada três meses. Neste ultimo caso, tenha especial cuidado para não danificar as raízes durante a operação. Utilize adubo pelo menos duas vezes por ano e certifique-se que não é vitima de ataques de pragas.

Regar com conta, peso e medida

A água é elemento essencial numa horta que se quer bem sucedida. Mas há pequenos senãos que deverá ter em conta no momento da rega. Por exemplo, não deverá nunca regar nas horas mais quentes do dia; tal como nos jardins, também aqui o indicado será regar à primeira hora da manha ou no finalzinho da tarde, início de noite.

E lembre-se: o excesso de água aumenta os riscos de doenças que prejudicam as raízes pelo que a rega deve ser feita com conta, peso e medida.

Cada planta o seu vaso

Na realidade, não é bem assim já que poderá semear entre duas a três plantas por vaso, desde que tenham características semelhantes. O que pretendemos dizer aqui é que deverá escolher o tamanho do vaso de acordo com o tipo de planta que ali vai colocar. Por exemplo, os orégãos podem ser cultivados em vasos pequenos enquanto o alecrim, o manjericão ou a lavanda  precisam de um vaso de tamanho médio e o tomate um de tamanho grande.

Que tipos de plantas e legumes pode cultivar em casa?

A resposta a esta pergunta depende em muito do espaço que tem e do tipo de casa em si. De qualquer forma, a maioria das hortaliças que nascem no chão podem ser cultivadas em vasos. São exemplo disso a alface, o tomate, a rúcula, a cenoura ou a cebola e o espinafre.

Em termos de ervas aromáticas, a regra é semelhante; a sua horta caseira pode contar com alecrim, salsa, cebolinho, coentros, hortelã tomilho e orégãos.

 

E não se esqueça que…

…. a horta em vasos dura entre seis meses a um ano; passado esse período, importa trocar a planta por outra.