Bem-vindo ao MyPopular!

Fique a par de várias dicas que o podem ajudar no dia-a-dia.

Fim do Mês

Inspeção automóvel está mais cara

Publicado em 31-03-2017

O preço da inspeção periódica de veículos aumentou. Na próxima vez que precisar de cumprir esta obrigação, vale a pena saber que os valores a liquidar foram ajustados em linha com a taxa de inflação, o que se traduz num aumento de preços de 0,52%.

Na prática, a inspeção de um veículo ligeiro passa a custar mais 16 cêntimos, ou seja, 30,70 euros. Nos veículos de duas rodas, que a legislação já define como sujeitos à mesma obrigação, embora no terreno a medida ainda não tenha avançado por falta de condições nos centros para a operacionalizar, o preço fixa-se nos 15,46 euros. Também se aplica a quadriciclos e triciclos, desde que, tal como as motas, tenham uma cilindrada superior a 250 centímetros cúbicos.

Nos pesados, nos quais o valor de partida é mais alto, o aumento do serviço (em euros) é ligeiramente superior. São 23 cêntimos a mais, o que perfaz um valor final de inspeção de 45,95 euros, enquanto nos reboques e semirreboques o novo preçário de inspeção é de 30,70 euros.

Com esta atualização de preços não é só a inspeção periódica normal, a que qualquer veículo está sujeito, que sofre alterações. Todos os serviços associados seguem a mesma tendência.

Assim, as reinspeções passam a custar 7,69 euros e as inspeções relacionadas com novas matrículas têm agora um preço de 76,64 euros.

Nos casos de inspeções extraordinárias, o condutor terá de desembolsar 107,19 euros e se precisar de uma segunda via da ficha de inspeção vai pagar 2,89 euros.

A taxa de inflação que serviu de referência ao aumento de preços da inspeção periódica foi calculada tendo em conta o Índice de Preços no Consumidor Total, sem habitação, em novembro de 2016. A deliberação foi do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), que gere esta área.

A inspeção periódica obrigatória pretende ser uma garantia de segurança pública, verificando as condições de circulação dos veículos que andam nas estradas. Não cumprir esta obrigação sujeita o condutor a multas entre os 250 e os 1.250 euros.

A falta de selo de inspeção é punida com a coima mínima, os valores mais elevados estão reservados a transformações não homologadas nos veículos, que se considere representarem um risco para a segurança de quem os conduz ou de terceiros.

O mês e o dia de matrícula do veículo determinam o prazo-limite para fazer a inspeção que, no caso dos ligeiros de passageiros, deve ocorrer quatro anos após o ano da matrícula e a partir daí de dois em dois anos. Quando o automóvel completar oito anos, a inspeção passa a ser obrigatória todos os anos.