O seu Dia a Dia
Saber Poupar

O glossário da poupança

Publicado em 31-01-2018

Um pouco por todo o lado é cada vez mais comum ouvir falar na necessidade de se poupar; poupar nas compras; poupar nas contas da casa; poupar nos gastos supérfluos; poupar de uma maneira geral.

E, se os portugueses não são dos povos mais gastadores, a verdade é que os níveis de poupança também não são assim tão elevados. A poupança deve começar desde pequenino e tornar-se um hábito ao longo da vida. Mas para que se assegure uma poupança eficaz, importa saber o que significam alguns dos termos mais importantes neste campo.

Deixamos-lhe aqui um conjunto de conceitos relacionados com esta área para o ajudar a entender melhor o universo da poupança:

Poupança

Podemos dizer que se trata da parte do rendimento disponível que não é gasto com o consumo, ou seja, poupança = rendimento disponível – consumo.

Falamos em “poupança positiva” sempre que os gastos com o consumo não são superiores ao rendimento disponível e, naturalmente, o contrário – sempre que os gastos com consumo ultrapassam o rendimento disponível – transforma-se numa “poupança negativa”, havendo necessidade de pensar na melhor estratégia face ao consumo.

Conta-poupança

Trata-se de uma opção de depósito a prazo que permite mobilizar o dinheiro sempre que necessário, mas que, ao mesmo tempo, abre portas ao aumento do capital aplicado através de entregas programadas ou pontuais de dinheiro.

Despesas

Falamos aqui de saídas de recursos financeiros de uma empresa, de uma organização ou mesmo do orçamento de uma família. Tomemos como exemplo, por ser mais comum, as despesas familiares como a conta da água, da luz, do telefone ou ainda os impostos devidos ao Estado; já do lado das empresas, os salários são um bom exemplo a ter em conta.

Taxa de esforço

Este é um importante conceito a saber já que diz diretamente respeito à percentagem do rendimento familiar alocada ao pagamento das prestações de créditos já contraídos.

Para calcular a sua taxa de esforço pode recorrer à seguinte fórmula: taxa de esforço = encargos financeiros mensais/rendimento x 100 ou utilizar o simulador Todos Contam disponível na página do Plano Nacional de Formação Financeira.

Investimento

É o capital aplicado com o objetivo de obter rendimentos a prazo.

Orçamento familiar

Pode ser considerado através de uma espécie de mapa de gestão das finanças familiares, permitindo controlar melhor o dinheiro e planear o futuro. Neste mapa, devem ser sempre identificados todos os rendimentos e todas as despesas do agregado familiar.

Mesada

Valor que os adultos dão às crianças todos os meses de forma a ensiná-las a gerir o seu dinheiro; pode ser também uma semanada e, neste caso, o valor é dado todas as semanas.

Juros

Os juros são um determinado valor calculado com base no capital disponível. Dizem sempre respeito a um período concreto de tempo e correspondem ao capital a multiplicar pelo valor da taxa de juro acordada para esse mesmo período.

Certificados de aforro

São instrumentos de dívida pública criados com o objetivo de captar a poupança das famílias.