Bem-vindo ao MyPopular!

Fique a par de várias dicas que o podem ajudar no dia-a-dia.

Saber Poupar

Open spaces são mesmo uma boa opção para as empresas?

Publicado em 20-04-2017

A utilização de espaços comuns de trabalho é um princípio seguido por muitas empresas. É uma forma de reduzir custos, poupar espaço, mas também de fomentar a colaboração, a troca de ideias e o contacto entre colegas de trabalho.

Há quem considere que é ainda um mecanismo de auto-gestão do espaço de trabalho, uma vez que o comportamento de cada colaborador fica exposto a todos os outros e isso será uma forma de inibir práticas menos corretas, como atrasos constantes ou longas pausas durante o trabalho.

Mas se os impactos positivos na produtividade e na boa atmosfera da empresa são vantagens apontadas a este modelo, também há desvantagens a considerar e podem até ser as mesmas. O ruído constante é uma consequência inevitável do trabalho em espaço aberto e da troca de ideias que essa partilha uma fomenta, nem sempre relacionadas com o contexto profissional.

A falta de privacidade é outro aspeto menos positivo. Há quem se adapte sem dificuldades, mas para muitos este é um fator que pode gerar desconforto, ou dificuldades de concentração. As condições de funcionamento do espaço também têm potencial para gerar atritos. A temperatura da sala, o nível de iluminação, o volume de um televisor ou rádio dificilmente reúnem consensos.

Considerando todos estes fatores, há mesmos estudos a indicar que os open spaces podem impor quedas até 15% na produtividade dos colaboradores, aumentar a probabilidade de desenvolver problemas graves de concentração e duplicar as hipóteses de contrair doenças contagiosas como a gripe, como referia a BBC num artigo recente sobre o tema, citando especialistas.

Assim sendo, e tendo em conta que, mesmo com contrariedades, é pouco provável que o modelo caia em desuso, quer pela flexibilidade que representa para as empresas na gestão do espaço, quer pelas restantes vantagens, vale a pena definir regras que potenciem o melhor dos open spaces e atenuem os seus aspetos menos positivos.

A maior parte destas regras de conduta derivam do bom senso, mas nem sempre são seguidas e por isso vale a pena sublinhar as mais importantes.

Manter o toque de telemóvel com o som baixo ou sem som, não falar alto ao telemóvel, ligar ou deslocar-se ao local sempre que se pretende contactar com um colega cuja secretária está na outra ponta da sala, manter o espaço de trabalho arrumado e ter cuidado com o tipo de linguagem são boas práticas que vale a pena seguir.

Moderar os comentários e as conversas pessoais também são aspetos importantes e uma forma de contribuir para diminuir o ruído constante e promover a harmonia.