Bem-vindo ao MyPopular!

Fique a par de várias dicas que o podem ajudar no dia-a-dia.

Ser Feliz

Tapioca, a nova moda da alimentação saudável

Publicado em 06-07-2017

Há um alimento a ganhar adeptos junto dos fãs da alimentação saudável. A tapioca há muito que faz parte da dieta dos povos da América Latina, sobretudo no Brasil, onde assume um papel de destaque na alimentação. Nos últimos anos, este alimento cruzou fronteiras e atravessou oceanos para cativar novos seguidores.

Extraída da raíz da mandioca, a tapioca é essencialmente um hidrato de carbono, rico em proteínas vegetais que ganhou popularidade por ser um alimento livre de glúten. Contém ácido fólico, potássio, cálcio, vitamina K, ácidos gordos e ferro, componentes que a transformam num aliado para uma melhor digestão e absorção de nutrientes, regular a pressão arterial ou prevenir doenças dos ossos. É pobre em sódio e pode ser cozinhada sem adição de óleo ou de outras gorduras e é por isso uma alternativa interessante para quem não deve abusar do sal e das gorduras.

O sabor agradável e o facto de poder ser usada em diferentes combinações, entre doces e salgados, também contribuíram para dar fama à tapioca, que pode ser encontrada com diferentes designações (polvilho doce ou azedo, por exemplo) e aspetos (os mais populares são a goma e o granulado, sendo este último mais utilizado em doces, e o primeiro é utilizado de base para diferentes tipos de pratos)

Em Portugal, a tapioca é hoje usada com frequência como alternativa ao pão. É consumida sobretudo em forma de cremes, que podem ser recheados com fruta ou legumes, ou enrolar carne e outras misturas de ingredientes.

É um produto muitas vezes associado às dietas, por ter um índice calórico baixo e pelo facto da sua composição (um tipo de amido) fazer deste produto um alimento que provoca saciedade. No entanto, é a forma como é consumida que dita a sua eficácia.

Se for misturada com ingredientes ricos em fibras, como sementes de chia ou linhaça, por exemplo, o seu efeito de saciedade é potenciado e o índice glicémico elevado reduz-se. Se a consumir com geleias e doces, é melhor não pensar em dietas.